Como oferecer aquilo que o teu público quer

Como oferecer aquilo que o teu público quer

Como oferecer aquilo que o teu público quer.

Apesar de já estar no mercado do Marketing Digital desde 2012, a verdade é que com o passar do tempo fui dando cada vez mais atenção (e importância) aos erros que eu dava e que os meus clientes davam.

E é através desses erros que hoje o meu negócio funciona.

Porque ao errar mas, principalmente ao não olhar de lado os erros e em vez de me culpar, aprender com os mesmos, posso cada vez mais oferecer as melhores soluções ao meu público.

E porque isto é tão importante?

Alguma vez já te deparaste com a compra de uma prenda para alguém que não conheces tão bem? Eu já. E já fui aquela pessoa que anda de loja em loja a ver o que mais se adapta a alguém que não conhecemos bem mas que não queremos também oferecer algo só porque sim.

E eu sei que esta situação se adapta muito bem aos negócios online de hoje. Mais de 90% dos clientes com quem trabalho, não sabem quem é o seu público nem o que este procura de verdade.

E tudo isto porque a impulsividade de querer vender é tanta que não paramos para pensar que pequenas acções como saber quem é o nosso público e o que este procura, vai a longo prazo ajudar-nos a ter essas vendas.

Penso que é a frase que eu mais tenho repetido nos últimos tempos “Estamos na era do relacionamento. A era da venda directa acabou!”

Digo muito isto aos meus clientes mas parece que ainda é muito complicado perceber que saber quem é o nosso público faz toda a diferença e que se não dermos a cara pelo nosso negócio e não formos autênticos, tudo o que vamos ouvir são grilos.

Saber quem é o nosso público

Como disse em cima, mais de 90% dos clientes com quem trabalho, não sabem quem é o seu público nem o que este procura de verdade.

Cerca de 70% dos meus clientes sabe que quer vender os seus produtos a homens ou mulheres. Sabem a faixa etária (apesar desta ser larga e nem sempre isso é bom). Há clientes que sabem que apenas querem trabalhar com empreendedores. Outros sabem que querem trabalhar com crianças.

Mas a grande parte não explora a fundo a resposta à questão “quem é realmente o teu público?”

Há uns tempos atrás, um cliente disse-me que queria trabalhar com empreendedores. Queria ensinar-lhes ferramentas para conquistar os seus objectivos e tornarem-se verdadeiros líderes dos seus negócios.

Mas apenas isso. Ele não sabia quem eram esses empreendedores. O que eles sonhavam. Do que tinham medo. Que oportunidade gostariam de ter na sua vida, que conhecimento gostariam de ter, que livros lêem, quem seguem na Internet…

E agora até me podes perguntar “mas será que é preciso saber isto tudo?”. Com o passar do tempo, é isto tudo que te vai fazer ser um coach extraordinário, em vez de mais um coach no mercado.

O teu público quer ser ouvido

Tal como mencionei em cima, o cliente dos dias de hoje quer ser ouvido. Quer ser valorizado. E se tu não lhe proporcionas uma experiência (e da boas!) ele vai direitinho à tua concorrência.

É mesmo assim que vai acontecer! Lembra-te que o mundo está com cada vez mais informação a sair para fora – mesmo que nem toda a informação seja a melhor do mundo. E se não te destacas, mesmo que ainda só entre 2% a 3% dos coaches façam mesmo a diferença pelos negócios, a verdade é que alguém se vai destacar.

Portanto, aquilo que eu te aconselho é começares já a fazer diferente. Começa a saber quem é o teu público. Quais os seus obstáculos e desafios. Que medos eles têm. Que oportunidade vinha mesmo a calhar. Quais os seus interesses. Etc etc.

Começa a comunicar toda essa informação que vais retirando nas tuas páginas online, nos teus vídeos, podcasts, artigos de blog ou textos que publiques nas tuas redes sociais.

Já imaginaste criares um conteúdo que fala de uma dor que o teu público está a passar. Por exemplo, o não conseguir seguir em frente por medo do sucesso. E ao comunicares directamente para estas pessoas, ao falares que este medo é normal e comum (colocares exemplos práticos aqui ajuda e muito!). Que é derivado de x e y mas que essencialmente TEM SOLUÇÃO. Isto é o que faz a diferença.

Porque aqui o teu objectivo deve ser o teu público chegar até ti e pensar “parece que está a falar directamente para mim”.

Como farás a diferença com o teu público

Lembro-me perfeitamente de quando li pela primeira vez sobre a importância de sabermos ouvir o nosso público.

Estávamos em 2015 e eu estava a ler o livro sobre Campanhas do Facebook, do Perry Marshall. E lembro-me que assim que li esse capítulo, mudei de imediato de capítulo pensando “isto não é assim tão importante, posso ver depois.”

A verdade é que enquanto eu não li aquele capítulo, nada do que eu fazia me trazia resultados. Eu podia criar 1000 campanhas. Podia enviar 2000 e-mail’s. Mas se eu não sabia para quem eu estava a comunicar, como queria eu chamar a atenção? Faz sentido para ti?

Então, eu quero dar-te agora 3 dicas daquilo que eu comecei a fazer para conhecer o meu público.

  • Criei questionários quando fazia alguma oferta (ex.: ebook, vídeos…).
  • Criei sondagens nos Stories do Instagram, à medida que focava vários temas diários.
  • Diariamente lia aquilo que o meu público publicava. É a melhor forma de saberes o que ele sente, o que ele receia e o que ele ambiciona.

Como vês, são 3 dicas simples mas que garanto que fazem toda a diferença. Assim que começas a receber informações sobre o teu público, podes começar a criar conteúdo mediante essas informações e podes começar a comunicar cada vez de forma mais objectiva para o teu público, em vez de falares de uma forma geral.

Conclusão

O importante é obteres cada vez mais informação para que possas ajudar o teu público da melhor forma. Para que a experiência que este passe contigo seja memorável.

Espero que este conteúdo tenha sido importante para ti como foi para mim assim que aprendi o que te mostro aqui hoje.

Agora diz-me. Já ouves o teu público? Qual é o seu maior desafio neste momento? Diz-me aqui em baixo nos comentários.

Se preferires, coloco-te aqui em baixo este artigo em formato podcast que também podes seguir no SoundCloud 🙂

Até já!

Sara

Deixe um comentário